sexta-feira, 5 de junho de 2015

SCREAMIN’ JAY HAWKINS – O gênio do blues e do terror


Está na hora de começarmos a falar de música aqui no blog!

Para começar, ninguém mais indicado do que o excêntrico, esquisito, assustador, inovador e genial Screamin’ Jay Hawkins!

Apesar de pouco conhecido no Brasil, a importância de Screamin’ Jay Hawkins no mundo da música é incontestável. Dono de uma voz poderosa e de uma presença de palco sem igual, com apresentações teatrais, selvagens e, muitas vezes, macabras e até abobalhadas, esse cantor de Blues, Psychobilly e Shock Rock foi o precursor das bandas de Rock e Heavy Metal que passaram a usar objetos de horror nos palcos, como esqueletos e morcegos. Muito antes de King Diamond, Kiss, Alice Cooper, Rob Zombie e Ozzy Osbourne, Jay Hawkins já tinha em seus palcos, na década de 50 (!!!), crânios humanos, cobras de borracha, caixões e acessórios de vodu. Isso sem contar seu estilo de cantar, que era cheio de grunhidos, gritos e murmúrios esquisitíssimos, mas estranhamente cativantes e com uma tonalidade dificílima de se alcançar. Um gênio-louco vanguardista típico e, como tal, incompreendido.
Hawkins com uma cobra no pescoço, um cajado de caveira e ossinhos no nariz.

Apesar dos objetos macabros e das temáticas incomuns de suas músicas, as apresentações do excêntrico cantor de blues eram marcadas por comicidade e exageros que tornavam tudo muito caricato e semelhante a um teatro bizarro de rituais africanos para assustar crianças (isso mesmo que você leu!), como se ele fosse um Vincent Price negro que canta blues. Na verdade, Screamin’ Jay Hawkins era tão maluco e esquisito que só existe um jeito de conhecer o universo dele: vendo e ouvindo. Por isso, segue um vídeo dele cantando seu maior clássico, “I put a spell on you”, o qual foi posteriormente regravado no primeiro álbum do Creedence (que tornou a música um de seus maiores hits, na voz inconfundível de John Fogerty). Além da banda do João-Esquecido (sacou?), inúmeros artistas já fizeram covers dessa música fantástica, como The Animals, Van Morrison, Nina Simone e Marilyn Manson (e Murilo Toffanelli, aqui no Brasil \m/_).


Agora, imagine só: um negro louco e excêntrico, que usa ossos no nariz, mexe com vodu e fica cantando como se estivesse tendo convulsões em um ritual de magia negra, em pleno os Estados Unidos da década de 50! Esse cara é uma lenda!

Existe muita história em torno dessa figura mítica, mas é impossível saber onde termina a realidade e começa a ficção. Seja como for, eis algumas curiosidades absurdas do criador de “I put a spell on you” (muitas delas extraídas do confiabilíssimo Wikipedia, hehehehe):

- Jalacy Hawkins (nome verdadeiro de Screamin’ Jay Hawkins) serviu às forças aéreas do exército americano durante a Segunda Guerra Mundial, primeiramente como um artista. Ele mesmo chegou a afirmar que foi torturado durante algum tempo como prisioneiro de guerra;

- As histórias sobre as circunstâncias da captura e da fuga de Jay Hawkins como prisioneiro de guerra variam. De acordo com o documentário I Put a Spell on Me, Hawkins, para ser libertado, explodiu a cabeça de seu carrasco colocando uma granada na boca dele e puxando o pino;

- Hawkins era um ávido e formidável boxeador. Em 1949, ele foi campeão peso médio do Alaska;

Showzinho de boa.
- Conta-se que "I put a spell on you" era para ser uma balada refinada. No entanto, durante as sessões de gravação, toda a banda estava sob efeito de substâncias alucinógenas, e Hawkins gritou, grunhiu e murmurou pela música inteira, como um bêbado abandonado;

- A performance durante a gravação do clássico "I put a spell on you" foi hipnótica, e o próprio cantor não se recordava das sessões. Isso fez com que ele tivesse de reaprender a música de acordo com as gravações para poder tocá-la ao vivo;

- O bizarro e talentoso cantor morreu no ano 2000, supostamente deixando muitos filhos e mulheres (dizem que a estimativa, na época da morte, era de 55 filhos, mas, após investigações, esse número se aproximou de 75 - como se vê, Hawkins influenciou até mesmo o Mr. Catra!).

Confesso que eu não acredito em nenhum desses "fatos", mas, sinceramente, conhecendo a figura, também não duvido de nenhum deles. E você?

Um comentário:

  1. É uma pena que no Brasil a gente encontre pouca coisa a respeito desse cara que era e ainda continua sendo sensacional. O descobri por acaso vasculhando a internet, e fiquei hipnotizado pela "estranheza" e pela super voz.


    Estou há um tempão procurando o documentário legendado, mas até hoje não consegui encontrar em lugar nenhum.

    ResponderExcluir